Fandom

Poesia

Os bárbaros

2 752 páginas
nesta wiki
Adicione uma página
Comentários0 Compartilhar
Os bárbaros
por Olavo Bilac


Ventre nu, seios nus, toda nua, cantando

Do esmorecer da tarde ao ressurgir do dia,

Roma lasciva e louca, ao rebramar da orgia,

Sonhava, de triclínio em triclínio rolando.


Mas lá da longe Cítia e da Germânia fria,

Esfaimado, rangendo os dentes, como um bando

De lobos o sabor da presa antegozando,

O tropel rugidor dos bárbaros descia.


Ei-los! A erva, aos seus pés, mirra. De sangue cheios

Turvam-se os rios. Louca, a floresta farfalha...

E ei-los, - torvos, brutais, cabeludos e feios!


Donar, Pai da Tormenta, à frente deles corre;

E a ígnea barba do deus, que o incêndio ateia e espalha,

Ilumina a agonia a esse império que morre...

(As Viagens , VI)

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no Fandom

Wiki aleatória